SFC: Maus, A História de um Sobrevivente - Resenha HQ

Eu não sou a pessoa mais fã de HQ que conheço nesta vida. 
Caso é que, por algum motivo, sempre associo quadrinhos a fantasia... E eu faço parte do time de pessoas que não são muito fãs de histórias fantásticas (sorry!).

Meu interesse em Maus, portanto, se deu ao fato de ele ser um graphic novel da vida real... Justamente porque neste HQ Art Spiegelman narra a luta de seu pai, um judeu polonês, para sobreviver ao holocausto.

Art resolve contar essa história de uma forma bem peculiar: ele retrata os nazistas como gatos, os judeus como ratos, os poloneses como porcos e os americanos com cães.

A graphic em questão é dividida em dois volumes:

Volume I - Meu Pai Sangra História - fala desde a decisão de Spiegelman em escrever as agruras do pai - mostrando, neste meio tempo, um relacionamento um tanto problemático entre filho e progenitor (que "de certo modo, parece a caricatura racista do judeu avarento" de acordo com Art) - passando pelas memórias de como Vladek (o pai) conheceu Anja (mãe de Art), até todas as manobras realizadas e todos os "buracos de ratos" preenchidos por cada judeu, ou por famílias de judeus, para tentar fugir da tragédia toda.

Uma parte dessa narrativa me deixou particularmente perturbada... E esta foi um trecho onde Vladek conta que ele mais cerca de 200 pessoas, incluindo sua esposa, foram pegos pela Gestapo (Polícia Secreta do Estado Nazista) enquanto via seu próprio primo (alguém que podeira ajudá-lo) do outro lado. Sinalizou para o primo, que disse não poder fazer nada. Sinalizou que podia pagar e o primo prontificou-se  na mesma hora, dizendo que outro primo voltaria para dar um jeito.
Art: "Eles não teriam ajudado se não pudesse pagar? Quer dizer, vocês eram da mesma família..."
Vladek: "Você não entende... Naquele tempo não existir mais famílias. Era cada um por si mesmo" - Sim, Art reproduziu o sotaque do pai durante todo o livro.

Volume II - E Aqui Meus Problemas Começam - narra a partir da chegada de Vladek a Auschwitz, em 1944. Aqui o pai fala de todos os detalhes do campo de concentração e de tudo o que fez, e das amizades providenciais que construiu, para escapar da morte.

Como vocês podem notar, não é uma história levinha de se ler. Principalmente quando a gente pensa que isso não é ficção. É história real, de fatos reais, ocorridos com pessoas reais. 

Quando a gente imagina que membros de família foram separados uns dos outros, sem saber se um dia se veriam novamente...
Quando a gente imagina que mães nunca mais viram os filhos, ou o marido, ou vice-versa...
Quando a gente imagina montes de corpos sendo cremados... Ou a agonia que é inalar gás até a morte...
Quando a gente imagina a brutalidade com que as pessoas eram tratadas, ou assassinadas...

À parte a tristeza, o livro é lindo. Os traços são super caprichados e isso super explica o preço da obra (o que só me faz lamentar o fato de Evandro ter derramado café no meu, semana passada...). 

Esse foi o primeiro HQ a receber o Prêmio Pulitzer, em 1992... E todo o reconhecimento que o autor recebeu pela obra em algum momento fez com que ele se sentisse mal, por entender que estava ficando famoso à custa da morte.
É... Esse não deve ser mesmo um sentimento fácil...

Ficha Técnica:

Livro: Maus - A História de um Sobrevivente
Autora: Art Spiegelman
Páginas: 296
Ano de Publicação: 2005
Gênero: Biografia
Editora: Companhia das Letras
Comprei em: Submarino
Preço: R$ 25,00 na promo. Geralmente custa R$ 50,00
Estrelas: 5, com certeza!
Indicação: pra todo mundo. Mais precisamente, todo mundo que seja maior de 14 anos.

Abraços e Beijos pra Tu!

Adna Maria.

2 comentários

  1. Oii! Nossa, adorei... Eu comprei este mês né, e já era até para eu ter lido, no final de semana passada rsrs Lerei, com certeza!
    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia, Dani! Você não vai se arrepender...
      Eu mesmo já tô querendo reler... hahaha
      Beijooss!!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...