SFC: Todo Dia, David Levithan - Resenha

Aí quando me dá coragem pra começar a resenha, a câmera fotográfica decide descarregar... aiai...

Hoje é Sexta-Feiraaaa!! Dia Internacional da Cachaça e Dia de Resenha no LD... hahaha (Porque não me ocorreu algo mais engraçado pra dizer... Desculpa, tá?). 

Meu gato acabou de impacientar comigo e preferiu o chão à minha cama... É... Ultimamente ninguém tem tido muita paciência with me... Acho que vou pedir pra Chaves voltar do além...  
Eu hein! Não liguem pra meus devaneios... Ééé! Não liguem não... Deve ser efeito da preguiça que me acomete no momento...

Mas então... Deixemos de falação sem sentido e vamos ao que interessa. Porque hoje eu vou falar de... tãdãdãdã... Todo Dia, de David Levithan.


Minha motivação pra comprar esse livro: cansei de ouvir todo mundo falar super bem dele. Ponto. Resolvi ver se era bom mesmo. Ponto. Não consegui enxergar tudo isso. Ponto. Agora serei odiada por toda a posteridade. Fato.
Resumindo o lance todo... O livro fala de um ser chamado A.
"A" não é homem nem mulher. É só uma espécie de "espírito" que Todo Dia habita um corpo diferente (coisa básica).
A nunca teve seu próprio corpo. Ele nasceu assim... Não sabe explicar por quê; não sabe se existem outros seres iguais a ele por aí e já desistiu de tentar entender tudo há algum tempo... 
Agora A apenas existe. 
E existe com algumas regras: não se apegar (à família do "hospedeiro" em questão), e jamais interferir (na vida do "hospedeiro" em questão)...
Até que um dia, algo diferente acontece... A acorda no corpo de um garoto chamado Justin e simplesmente se apaixona por sua namorada, uma tal Rhiannon.

A partir desse momento de paixão arrasadora, A mete na cabeça que está amando intensamente e decide voltar, dia após dia, estivesse onde estivesse, para reencontrar sua muchacha...

Algumas colocações pessoais acerca do livro... Não é um mal livro. Ele é bem escrito, entretém, é de fácil leitura, e todas essas coisas que chamam a nossa atenção. Porém... E sempre tem um porém... Ao meu ver não é essa beleza toda que mata do coração, não... Digamos que ele seja apenas OK. 

Os pontos altos, pra mim, foram os dias em que A acordou em corpos mais, huumm, digamos... especiais... Como no dia 5.998, em que amanheceu no corpo de um viciado e passou o dia inteiro lutando contra os desejos da carne... 
Ou como no dia 6.005, em que acordou no corpo de Kelsea Cook, uma adolescente que não via mais sentido na vida e estava planejando se matar.

Com relação ao romance, ele suscita pensamentos interessantes sobre amarmos uma pessoa pelo que ela é, pelo seu interior, e não pelo que seu embrulho apresenta. Tipo: amar o que há dentro de um corpo gordo ou magro, com órgão sexual masculino ou feminino, com cara bonita ou feia, um corpo alto ou baixo, com cabelos black power ou lisos... um corpo negro ou albino. 
Enfim, a mensagem é boa, mas não consegui me apegar ao romance... se é que você me entende... Se é que eu me entendo...

A narração acontece em primeira pessoa e apenas um detalhe me incomodou... Se A não é homem nem mulher... Por que raios de motivos, então, ele se trata sempre no masculino, mesmo estando num corpo feminino?

Ademais, achei o livo mais interessantinho do que divertido (como Jodi Picoult diz em sua capa) ou emocionante (como foi pra Daniel Handler - logo abaixo da sinopse). 

É, pois é... Desculpa, tá? 
Talvez eu tenha ido com muita sede ao pote... Dá nessas coisas, né?

Ficha Técnica:

Livro: Todo Dia
Autora: David Levithan
Páginas: 279
Ano de Publicação: 2012
Gênero: Romance
Editora: Galera
Comprei em: Submarino
Preço: R$ 17,00
Estrelas: 4 estrelinhas
Indicação: jovem/adulto.

Agora me despeço porque o sono tá de lascaaarrr!
E se não me fiz coerente nesta resenha... Desculpa, tá? rsrs

Abraços e Beijos!

Adna Maria.

6 comentários

  1. Sei como é amiga tem dias que ando assim desanimada também,mas não é preguiça é cansaço .Trabalhamos e temos que dividir o pouco tempo que nos resta com o blog mas bola pra frente .Gostei da resenha/achei que ficou clara e objetiva pareceu sem um livro comum ,com mensagens que sempre ouvimos mas que sempre nasce o desejo de querer ler e ouvir mais e mais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resumiu bem, Si... Cansaço... rsrsrs...
      Comecei a escrever essa resenha às 22:00 horas, depois de um dia inteiro de trabalho atribulado...
      Obrigadaaa, amiga lindaaa!!
      Bjoss!!

      Excluir
  2. Eu não te odeio por isso flor rsrs sabe porque? se muitos falou maravilhas desse livro é porque elas gostaram e acharam uma maravilha e você já enxergou diferente delas com um ângulos mais para frente que elas, eu posso amar esse livro e outros nem tanto kkkk gostei da resenha
    linda tem post novo, poderia ver?
    magrafelizpensa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk
      Verdade, viu, Marcelia!
      Brigada, lindaaa!!
      Beijoos!!

      Excluir
  3. Oiii Adna!
    Menina, eu tenho um medo desses livros que todo mundo fala bem kkkkkk Tive uma baita de uma decepção com A probabilidade estatística do amor à primeira vista, que OLHA kkkkkk
    "Todo dia" eu não li até hoje porque eu tenho preconceito com o nome do autor UAHAUHAUHAUHAUHA sei lá porque também...
    Mas enfim, talvez algum dia eu leia... talvez nããoo.....
    Beeijos =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkk
      Adorei, Dani!
      "Preconceito com o nome do autor..." kkkk
      Beijoos!!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...