Madame Charme: Livro!

Resolvi comprar esse livro no Submarino, lá pras épocas de Setembro, em substituição ao "À Parisiense". Acho que achei ele mais interessante, mas agora não lembro ao certo o real motivo de ter feito essa troca. Aiai...

O livro nos traz o aprendizado de uma jovem e "destrambelhada" estudante norte-americana, em seu intercâmbio de seis meses na França. Não é uma ficção, mas também não é uma auto-biografia. É apenas uma experiência realmente vivida por Jennifer L. Scott, autora do blog The Daily Connoisseur (uma mistura de inglês com francês que, traduzido, significa "A Conhecedora do Cotidiano") e de um Canal no Youtube. Seu experimento se passa mais precisamente em Paris, onde ela se hospeda na casa de uma família tradicional e rica, a qual resolveu chamar de Família Charme.

Seu intuito é nos dar dicas de estilo, beleza e comportamento, em 199 páginas: "A estudante aprendeu com sua anfitriã como se vestir de forma elegante com um guarda-roupa básico, como comer bem sem engordar, como se maquiar sem parecer maquiada, enfim, como viver "à française".

Bem... Abrindo meu coração, devo confessar que à medida que ia lendo o negócio lá, concordava menos com o que a Pessoa estava dizendo. Tipo: Pra quê trazer os costumes da França para outros lugares do planeta? Ora! A França é a França, Os Estados Unidos são os Estados Unidos e o Brasil é o Brasil! Cada um no seu quadrado. Cada país com sua cultura. Cada povo com as suas Frescuras. Cada doido com suas manias... (ou cada perturbado com suas maneiras, caso você prefira, meu amado leitor).

Me incomodei particularmente com as seguintes colocações: "Madame Charme nunca faria isso...", "Lembre-se que Madame Charme usava assim...", "Não imagino Madame Charme com essa roupa...". Aff! Sinceramente, enjoei dessa Madame Charme! Geeentem, os franceses tem muitos costumes estranhos que eu mesma não teria, será que Jennifer não enxerga isso?? Hahaha... Esse negócio de tomar banho uma vez só ao dia, por exemplo, Ave Maria!

Aí, depois de passar quase o livro todo revoltada com Madame Charme... (Afinal, QUEM É essa Madame pra me impor o seu estilo de vida? Oraaaa... Comer biscoito no meio da rua talvez não seja a coisa mais elegante do mundo mesmo, mas ela não pode me jogar minha falta de chiqueza na cara! Não permito!) Finalmente vim entender que a finalidade do livro não é esfregar regras europeias nas nossas ventas. É apenas uma visão. É só mais um modo de viver a vida. Não é melhor. Não é pior. A coitada da menina só queria narrar sua experiência pra pessoas que se identificassem com ela, ora bolas! E a coitada da Madame também não poderia ser condenada por suas escolhas, né mermo? Finalmente relaxei... kkkk... E, no final das contas, admito que gostei bastante do livro. A narrativa é ótima e recheada de humor, como disse alguém do New York Times, e eu acabei concordando com, digamos, 70% do que foi colocado. 

Ademais, é sempre bom conhecer outras culturas e costumes. Por exemplo, se eu não tivesse lido este livro jamais saberia que na França não se usa termômetro na boca... nem embaixo do braço... E eu nem vou dizer onde se usa pra não encabular! kkk...

Abraços, Beijos e Ótimo Final de Semana Procês!

Adna Maria.
P.S¹: Frase de efeito extraída do livro: "É tão fácil passar a vida no piloto automático sem nem sentir. Muitos fazem isso... vagam pela vida relativamente inconscientes. Sem usar os sentidos, sem sentir, sem viver."

Nenhum comentário

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...