Faroeste Caboclo!

Ontem fui lá no cine de novo. Desta vez pra conferir o tal Faroeste Cabloco... Aqueelee, inspirado na música que tem o mesmo nome, de Legião Urbana!
Não é como se eu fosse fãzassa (como se escreve isso hein?) de Renato Russo nem nada... Mas clássico é clássico né? (se é que se pode chamar rock de clássico... Ai, meu Deus, que confusão musical... mas vocês entendem o que quero dizer... Ou não?? kkkk).
Além do mais, acho que Evandro teria um treco se não assistisse ao segundo filme inspirado na vida e obra de Renato Russo... (vida e obra?? Como assiimmm?? kkkk...).
O fato é que parece que Faroeste Cabloco, tanto quanto Eduardo e Mônica, era sonhado/mentalmente-vivido pelos ouvintes da época... Tanto que, atualmente, eles se acham os próprios críticos do filme! kkkkk... O que tinha de gente reclamando na saída do cinema que o filme não retratava bem a música... E Evandro foi um deles! kkkkk... Críticos, críticos, críticos!!

Bem, a sinopse do filme é esta:
João (Fabrício Boliveira) deixa Santo Cristo em busca de uma vida melhor em Brasília. Ele quer deixar o passado repleto de tragédias para trás. Lá, conta com o apoio do primo e traficante Pablo (César Troncoso), com quem passa a trabalhar. Já conhecido como João de Santo Cristo, o jovem se envolve com o tráfico de drogas, ao mesmo tempo em que mantém um empregro como carpinteiro. Em meio a tudo isso, conhece a bela e inquieta Maria Lúcia (Ísis Valverde), filha de um senador (Marcos Paulo), por quem se apaixona loucamente. Os dois começam uma relação marcada pela paixão e pelo romance, mas logo se verá em meio a uma guerra com o playboy e traficante Jeremias (Felipe Abib), que coloca tudo a perder.

E a minha opinião é essa:
Quando o cara começou dizendo algo do tipo: "Se dependesse do resto do mundo, não haveria lugar pra mim.", eu já senti que ia gostar da trama! Na minha visão não crítica e não acompanhante da "tragetória de vida" do tal Santo Cristo (kkkkk), o filme foi tristemente... doce e romântico(?) (Sei que o negócio era regado a maconha, cocaína e violência, mas eu achei o filme doce e romântico, dá licença??).
Talvez tenha sido o envolvimento entre o rico e o pobre, o preto e o branco, o analfabeto e o graduado (mesmo com todas as divergências sociais) o que tenha me chamado atenção.
Gostei até mais desse filme do que de "Somos tão Jovens", pra te ser beemmm sincera.

Agoraaaaa, depois fui dar uma lida na música e né que acabei concordando com os "críticos"? kkkk... É que, na música, o Santo Cristo parecia ser beeemmm mais malandrinho do que no filme, além disso tem alguns trechos do "poema musical" que não são retratados no longa ... Mesmo assim gostei demais e recomendo muitooooo!! 

Dá uma conferida aí no Trailer!


Abraços e Beijos!

Adna Maria.


Nenhum comentário

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...