Para fazer Acontecer, Vamos Ouvir?

Nunca mais falei sobre livro né? Poxaaaa... Gosto tantooo... E você?

Gostaria de dizer aqui que já estou na metade do livro Faça Acontecer... Lembraaammm?

Então, já passei pela parte do book que fala sobre a importância de se colocar no lugar do outro, de ouvir o outro, de perguntar ao outro... antes de fazer julgamentos e acusações!

Sabe aquela tal verdade absoluta... aquela que a gente pensa que tá sempre do nosso lado... sabe qual? Você já parou pra pensar que ela não existe de fato? Que, em vez disso, o que existe é a sua verdade e a verdade da outra pessoa (que nem sempre estará em concordância com a sua, mas que não deixa de ser uma verdade mesmo assim...)?

Posso dizer que concordo muito com Sheryl, a autora do livro Faça Acontecer, quando ela diz que "quando reconhecemos que podemos estar vendo as coisas apenas da nossa própria perspectiva, podemos expor nossas concepções de uma forma que não é ameaçadora." Observe a diferença nas seguintes frases:

1." Você nunca leva minhas sugestões a sério!" (verdade absoluta, acusação).
2. "Sinto-me frustrada porque você não respondeu meus quatro últimos e-mails, o que me leva a crer que minhas sugestões não são importantes para você. É isso?" (ponto de vista, questionamento).

Entende? Antes de sair acusando por aí, usando a sua própria verdade, por que não expor suas conjecturas, ao mesmo tempo que questiona a outra pessoa, e procura ouvir o que ela tem a dizer? Afinal, já é prego batido que "a capacidade de ouvir é tão importante quanto a de falar" né?

E você vai conseguir ouvir melhor quando perceber que existe outra pessoa do outro lado da história. E quando você conseguir exercer o seu altruísmo, a sua empatia, a sua capacidade de se colocar no lugar do outro mesmo (assim, redundantemente)... Quando você perceber que cada cabeça é um mundo... e que podem existir outros mundos (verdades) por aí, além do seu... Num foi Einstein que disse que tudo é relativo?

Geralmente, eu mesma, em conversa com meus melhores amigos, falo da importância de se perguntar as coisas, mesmo que você ache que já é detentor da resposta... porque às vezes aquilo que você pensa que sabe (ou que pensa que entendeu) não é aquilo que a outra pessoa queria passar de fato... E você perde várias oportunidades simplesmente por não ter tentado esclarecer isso como se deve...

Sobre isso, Cheryl contou uma historinha bem interessante que eu não vou escrever aqui, pra este post não ficar muito longo, mas cuja foto deixo para vocês lerem e refletirem.


Então, o que eu aprendi disso? Em palavras simples... em qualquer lugar, em qualquer situação, com qualquer pessoa, você apenas vai conseguir ter um resultado promissor de uma conversa quando:
1. respeitar a outra pessoa enquanto ser pensante ilgualzinho a você;
2. ter em mente que a sua verdade não é absoluta... nem a da outra pessoa;
3. se colocar no lugar do outro; e
4. desenvolver a capacidade de perguntar, de ouvir e de ser suficientemente inteligente para aceitar outras opiniões que não sejam somente as suas.

E você, o que aprendeu? Pensa nisso durante o final de semana...

Bom FDS pra você!

Abraços e Beijos!

Adna Maria

Nenhum comentário

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...